logo IMeN

Flavonóides - Benefícios na prevenção da doença cardiovascular

que tal_um_cacho_flavonoidesOs flavonóides são poderosos antioxidantes em alimentos de origem vegetal e chás. Os flavonóides possuem subclasses que são os flavonóis, as flavonas, as flavononas, as catequinas e as antocianidinas, sendo que os flavonóis são encontrados predominantemente na cebola, couve, brócolis, maçãs, cerejas, chá e no vinho tinto. A capacidade de ação dos flavonóides agirem como antioxidantes e seu papel na prevenção de doenças coronarianas são citadas por diversos artigos, entretanto, alguns trabalhos indicam que estes teriam ação também contra ulcera, vírus, inflamações, artrite, osteoporose e diarréia. Mas qual o papel de um antioxidante no organismo? Os antioxidantes são substâncias que inibem a oxidação celular que ocorre pelos radicais livres, e na aterosclerose, auxilia na supressão da oxidação das LDL na parede arterial que se acumulam, formando placas de gordura e reduzem as concentrações de colesterol. Um estudo diferenciado foi realizado com sementes da uva preta, ricas em proantocianidinas, para avaliar a melhora da recuperação cardíaca durante reperfusão após isquemia. A arritmia ventricular permanece uma causa importante de morte na doença isquêmica do coração, por isso a importância deste estudo. Dois grupos de ratos com 17 a 19 semanas de idade e peso corporal entre 320-340g receberam diferentes doses de extrato de proantocianidinas (um grupo com 50mg/kg/dia e outro com 100mg/kg/dia) derivadas da semente da uva preta durante o período de três semanas. O resultado significativo para patologia da aterosclerose mostrou que proantocianidinas recuperaram o fluxo coronariano e o fluxo aórtico e melhoraram a pressão sanguínea. Os investigadores concluíram que a capacidade antioxidante destes flavonóides tem efeitos cardioprotetores contra danos cardíacos da reperfusão. Os flavonóides presentes na dieta podem estar envolvidos na prevenção de doenças cardiovasculares, mas ainda existem algumas controvérsias, sendo necessários mais estudos para que todo o mecanismo de ação, a determinação da influência a longo prazo, a dosagem da quantidade ideal a fim de se obterem os efeitos desejados, a variação destes resultados dentro de diferentes populações, o possível sinergismo com outros constituintes da dieta bem como a sua presença nos alimentos seja esclarecida e sua eficácia totalmente comprovada.

 

Referências:

Eric B. Rimm, ScD; Martijn B. Katan, PhD; Alberto Ascherio, MD; Meir J. Stampfer, MD; and Walter C. Relation between Intake of Flavonoids and Risk for Coronary Heart Disease in Male Health Professionals Willett, MD Ann Intern Med. 1996;125:384-389.

Sharma H, Clark C, Contemporary Ayurveda, Edinburgh, Churchill Livingstone, 1998.

Hertog MG, Feskens EJ, Hollman PC, et al, 'Dietary antioxidant flavonoids and risk of coronary heart disease: the Zutphen Elderly Study', Lancet342 (1993) 1007-1011.

Peluso MR, 'Flavonoids Attenuate Cardiovascular Disease, Inhibit Phosphodiesterase, and Modulate Lipid Homeostasis in Adipose Tissue and Liver', Exp Biol Med231 (2006) 1287-1299.

Harborne JB, Mabry TJ, Mabry H, The Flavonoids, London, Chapman and Hall, 1974.

Pataki T, Bak I, Kovacs P, et al. Grape seed proanthocyanidins improved cardiac recovery during reperfusion after ischemia in isolated rat hearts. Am J Clin Nutr. 2002;75:894-9.

Minetto CNFLAVONÓIDES NA DOENÇA CARDIOVASCULAR, Alimentação Humana 61, 2009 · Volume 15 · Nº 3

trans 
Get Adobe Flash player

IMeN - Instituto de Metabolismo e Nutrição
Rua Abílio Soares, 233 cj 53 • São Paulo • SP • Fone: (11) 3287-1800 • 3253-2966 • imen@nutricaoclinica.com.br